Por que temos e como evitar as olheiras

Escuras, inchadas, profundas. Basta uma noite mal dormida e lá estão elas: as olheiras. Entretanto, apesar de serem mais comumente associadas a maus hábitos noturnos, essas “manchas” que se formam ao redor dos olhos podem ter várias causas atreladas a sua origem.

A resposta para o senso comum que relaciona as olheiras ao cansaço está na espessura da pele na região dos olhos: ela é extremamente fina (0,5mm de espessura. No resto do corpo, a pele mede aproximadamente 2mm), por isso, o fluxo sanguíneo é mais visível. E quando o corpo está operando com baixa energia, a produção de cortisol aumenta sensivelmente para recompensar a energia que falta. Esse esforço faz com que o volume de sangue se expanda exigindo a dilatação dos vasos.

Essas causas, no entanto, não atravessam somente situações de estresse e insônia. A melanose periorbital (nome científico) agrega à lista de precedentes vários outros inimigos de quem quer evitá-las: o tabagismo, o envelhecimento, problemas na tireoide, alguns medicamentos, a genética, esfregar os olhos exageradamente, diabetes, dormir de bruços frequentemente, doenças do fígado, entre outros.

Como você já deve ter percebido, nem sempre é fácil detectar as causas exatas de suas olheiras. Mas existem dicas de hábitos e procedimentos que podem ajudar a amenizá-las ou mesmo torná-las quase imperceptíveis. Há receitas caseiras como usar suco de pepino e saquinhos de chá de camomila ao redor dos olhos, ou mesmo métodos como aplicar cremes que estimulam a produção de colágeno e o Peeling, procedimento oferecido pela Contorne que também ajuda a combater as olheiras com eficiência.

 

Com informações de Hypescience